Fotografia de vida selvagem (wildlife photographer)

Posts com tag “preservar

Praia da Capilha – Estação Ecológica do Taim, RS.

Praia da Capilha - Estação Ecológica do Taim, RS.

Praia da Capilha – Estação Ecológica do Taim, RS.


Dia Nacional do Pampa

Ontem, dia 17 de dezembro, foi o Dia Nacional do Pampa, um dos seis biomas brasileiros e que está localizado no extremo sul do Rio Grande do Sul. Esse bioma é constituído basicamente por vegetações rasteiras ou herbáceas, com capins de vários tipos.

Já tive a oportunidade de fotografar em duas unidades de conservação desse bioma: no Parque Nacional da Lagoa do Peixe (primeira foto) e na Estação Ecológica do Taim. As duas unidades funcionam com área de descanso, de crescimento ou nidificação para diversas espécies migratórias que procuram esse bioma.


Estação Ecológica do Taim, RS.

Estação Ecológica do Taim, RS.

A Estação Ecológica do Taim (ESEC Taim) é uma das mais principais estações ecológicas do Rio Grande do Sul e um dos principais ecossistemas do Brasil. Está localizada no sul do estado gaúcho, compreendendo parte dos municípios de Rio Grande e Santa Vitória do Palmar, entre a Lagoa Mirim e o Oceano Atlântico, próximo do Arroio Chuí, na fronteira do Uruguai.

Um dos principais motivos que levaram à criação da Estação Ecológica do Taim em 1986, foi o fato de esta área ser um dos locais por onde passam várias espécies de animais migratórios vindos da Patagônia.

A simples utilização da estação como área de descanso, de crescimento ou nidificação torna-a ainda mais importante pois para as espécies migratórias a destruição de uma área na rota de migração pode colocá-las em risco de extinção.
A imagem pode conter: atividades ao ar livre e água

 


Corujas

Símbolo da sabedoria e da inteligência, mas também do mistério e do misticismo, as corujas são algumas das mais fascinantes e misteriosas aves de rapina que existem no mundo e também pelo misticismo.

São animais carnívoros. Estão na sua dieta estão roedores, mamíferos de pequeno ou médio porte, insetos noturnos e outros pássaros, incluindo até, outras corujas menores.

Existem mais de 150 espécies de corujas no mundo. No Brasil temos 22 espécies de corujas, sendo algumas muito pequenas, como o caburé-miudinho, que pesa cerca de 60 gr, até as maiores, como o jacurutu com mais de 1 kg.

Essas são algumas das corujas que tive o prazer de fotografar.

 


Pantanal 2018

Muita gente me pergunta porque sempre vou ao pantanal e a minha resposta é sempre a mesma: porque tenho certeza que renderá boas fotos.


Galeria

Os Pica-paus. Da família Picidae, no Brasil encontramos 51 espécies desta família. Aqui algumas espécies que tive oportunidade de fotografar.


Galeria

A família Ramphastidae.


Hoje, 12 de novembro, é o dia do Pantanal!

Localizado no coração da América do Sul, esse imenso reservatório de água doce, é fonte de vida para diversas espécies animais e vegetais, atuando como um gigantesco berçário para todas elas.

Minha pequena contribuição a esse bioma tão castigado pela ação humana.

 


Galeria

Quiriquiri (Falco sparverius) – American Kestrel


Arara-Vermelha (Ara chloropterus) – Red-and-green Macaw

A arara-vermelha, também chamada arara-verde, araracanga, aracanga, arara-macau, ararapiranga e macau. A sua alimentação é baseada em sementes, frutas e coquinhos.

Distribuição: Amazônia brasileira e em rios costeiros margeados por florestas no Leste do País, chegando originalmente até o Espírito Santo, Rio de Janeiro e interior do Paraná. Encontrada também do Panamá ao Paraguai e Argentina.

A arara-vermelha-grande mede de 73 a 95 centímetros de comprimento e pesa até 1,5 quilo. Monogâmica, quando forma um casal, esta união é para sempre.

 


Galeria

Flamingo-chileno (Phoenicopterus chilensis) – Chilean Flamingo Parque Nacional da Lagoa do Peixe, RS.


Galeria

Gavião Belo (Busarellus nigricollis) – Black-collared Hawk


11 de setembro é o dia nacional do Cerrado.

Localizado no coração do Brasil, ligando três países da América do Sul, são encontrados no Cerrado mais de cinco mil espécies brasileiras, como o Lobo-Guará, o Tamanduá-Bandeira e a Onça-Pintada. Chamado de “o berço das águas”, por abrigar as nascentes de importantes bacias hidrográficas da América do Sul: Platina, Amazônica e São Francisco e por isso, funcionando como um elo entre quatro dos seis biomas brasileiros.

Em homenagem a esse bioma brasileiro, que é um dos mais devastados do país, metade do Cerrado já foi destruído, algumas fotos que fiz nas várias vezes que por estive por lá.

 


Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) – White-winged Swallow Alta Floresta, MT.

Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) - White-winged Swallow

Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer) – White-winged Swallow


Vizinho novo fazendo sua casa em frente a minha varanda.

Pica-pau-de-cabeça-amarela (Celeus flavescens) - Blond-crested Woodpecker

Pica-pau-de-cabeça-amarela (Celeus flavescens) – Blond-crested Woodpecker


Aves de rapina

As ‘aves de rapina’ ou ‘rapinantes’ são aves carnívoras que compartilham determinadas adaptações para a caça ativa, como o bico curvo e afiado, garras fortes, voo poderoso, além de uma excelente visão e audição. Com esses atributos, as aves de rapina são ágeis e eficientes na captura de suas presas.
O grupo é formado pelas ordens Accipitriformes (águias e gaviões), Falconiformes (falcões e caracarás), Cathartiformes (urubus e condores) e Strigiformes (corujas).
Fonte: http://www.avesderapinabrasil.com/caracteristicas_gerais.htm

 


Aves do Pantanal da Nhecolândia

Mais algumas aves que fotografei no Pantanal em janeiro de 2017.


Pantanal da Nhecolândia, MS

Janeiro de 2017.


Galeria

Aves da Estrada Parque – Pantanal da Nhecolândia.


O colorido das Saíras.

Saíra é o nome popular dado a várias espécies de aves brasileiras pertencentes às tribos Thraupini e Emberizini da família Fringillidae. Oocorrem em todo o território nacional e nem sempre são fáceis de avistar. É impossível não notar a beleza e o colorido dessas aves. De comportamentos peculiares, algumas são capazes de ingerir frutos desproporcionais aos seus tamanhos.


Arara-Vermelha (Ara chloropterus) – Red-and-green Macaw

A arara-vermelha, também chamada arara-verde, araracanga, aracanga, arara-macau, ararapiranga e macau. A sua alimentação é baseada em sementes, frutas e coquinhos.

Distribuição: Amazônia brasileira e em rios costeiros margeados por florestas no Leste do País, chegando originalmente até o Espírito Santo, Rio de Janeiro e interior do Paraná. Encontrada também do Panamá ao Paraguai e Argentina.

A arara-vermelha-grande mede de 73 a 95 centímetros de comprimento e pesa até 1,5 quilo. Monogâmica, quando forma um casal, esta união é para sempre.

 


04 de outubro – Dia Mundial dos animais

No Dia dos Animais, não esqueça da importância de protegê-los. O cuidado, o respeito e o amor pelos animais devem ser incentivados todos os dias. Ajude a protegê-los.


“Gigante pela própria natureza”. Esse é o Cerrado Brasileiro! Assista e conheça essa linda e rica região.



Hucilluc

Aqui e Ali Liga-nos ao que nos rodeia

Marcos Paiva

Fotografia de vida selvagem (wildlife photographer)

PELOS CAMINHOS DA LUZ - (The Paths of Light)

As vezes, encontrar a luz, significa passar por uma grande escuridão.

Prof. Ronald Soares

Uma vida dedicada ao estudo de idiomas.

Endless Frame Photography

Photography by Frank Cademartori

draw and shoot

Shooting photographs, drawing lines...

Emily Carter Mitchell ~ Nature as Art

Nature & Wildlife Photography

The In-Between

scotland, tea and happiness x

Steve McCurry Curated

Steve's body of work spans conflicts, vanishing cultures, ancient traditions and contemporary culture alike - yet always retains the human element.

adam mcateer photo blog

an insight into mcateer life..

Everyday life in the North Cape & North of Norway

Amazing adventures waiting to be discovered

Pursuing Wabi

Wabi - a simple way of life free of ornateness

Mabry Campbell Photo Blog

My Photography Study Images and Portfolio Images

Arthouse Photography

A curiously refreshing WordPress.com site

Diptychs

Photography by Camille Pasquin (on the left) & Natalia Shaidenko (on the right)

Without an H

Photography from south-east Asia by Jon Sanwell