Fotografia de vida selvagem (wildlife photographer)

Fauna

Galeria

Pantanal da Nhecolândia – 2018

Anúncios

Imagem

Cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus)

Pantanal 2018


Irara (Eira barbara)

Essa é foi a oitava vez que estive no Pantanal da Nhecolândia, em Mato Grosso do Sul e como eu disse no post anterior, cada ida ao pantanal sempre rende boas fotos, sempre tem algo novo para ser fotografado. Foi o caso dessa Irara.

Parente da marta e dos fuinhas, a Irara é um animal carnívoro e a única espécie do gênero Eira. Sem incluir a cauda, chega a ter 60 centímetros de comprimento.


Pantanal 2018

Muita gente me pergunta porque sempre vou ao pantanal e a minha resposta é sempre a mesma: porque tenho certeza que renderá boas fotos.


Galeria

Os Pica-paus. Da família Picidae, no Brasil encontramos 51 espécies desta família. Aqui algumas espécies que tive oportunidade de fotografar.


Hoje, 12 de novembro, é o dia do Pantanal!

Localizado no coração da América do Sul, esse imenso reservatório de água doce, é fonte de vida para diversas espécies animais e vegetais, atuando como um gigantesco berçário para todas elas.

Minha pequena contribuição a esse bioma tão castigado pela ação humana.

 


Galeria

Quiriquiri (Falco sparverius) – American Kestrel


O colorido das Saíras.

Saíra é o nome popular dado a várias espécies de aves brasileiras pertencentes às tribos Thraupini e Emberizini da família Fringillidae. Oocorrem em todo o território nacional e nem sempre são fáceis de avistar. É impossível não notar a beleza e o colorido dessas aves. De comportamentos peculiares, algumas são capazes de ingerir frutos desproporcionais aos seus tamanhos.


Imagem

Viuvinha (Colonia colonus) – Long-tailed Tyrant Parque Nacional de Itatiaia, RJ

Itatiaia - RJ


Arara-Vermelha (Ara chloropterus) – Red-and-green Macaw

A arara-vermelha, também chamada arara-verde, araracanga, aracanga, arara-macau, ararapiranga e macau. A sua alimentação é baseada em sementes, frutas e coquinhos.

Distribuição: Amazônia brasileira e em rios costeiros margeados por florestas no Leste do País, chegando originalmente até o Espírito Santo, Rio de Janeiro e interior do Paraná. Encontrada também do Panamá ao Paraguai e Argentina.

A arara-vermelha-grande mede de 73 a 95 centímetros de comprimento e pesa até 1,5 quilo. Monogâmica, quando forma um casal, esta união é para sempre.